sexta-feira, 17 de março de 2017

Pois...

Acho que já tive mais vontade de escrever... obrigado a todos os que passaram por aqui e que me acompanharam durante este tempo todo... até qualquer dia.


domingo, 14 de fevereiro de 2016

Aqueles momentos depois de largar as bombas...

O que isto quer dizer não é muito importante para quem estiver a ler... é só mesmo para dizer que por vezes as coisas acontecem e as pessoas ficam perturbadas e manifestam-se de maneira intempestiva... imaginem um tsunami a surgir do nada e arrasa com tudo na sua passagem.
Quando a fúria se dissipa, já as pessoas estão mais calmas mas em volta delas está tudo espatifado... e não, não faz sentido nenhum pedirem desculpa por terem fodido tudo em seu redor. Mais vale dizer "Eh pá, eu afinal não tinha razão e agi da maneira que agi..." , mas isso é inteiramente verdade? É? Não? Então não vale a pena pedirem desculpas! Têm argumentos? Apresentem-nos como deve ser, pois é essa a vossa justificação!
Na altura parecia legítimo entrar a matar daquela maneira, mas agora passado um tempo acham que exageraram? Azar... tivessem parado um bocadinho para respirar ou ir lá fora dar tiros para o ar ou terem ido para a casa-de-banho para uma sessão de solitário...ou o que quer que seja necessário para descomprimirem... porque agora não vão pedir desculpas, foda-se!
Conseguiram não se meter em sarilhos dos grandes? E ainda falam convosco? Porreiro... vão com calma e tentem acalmar-se na próxima vez...


E pronto basicamente é isto...

domingo, 10 de janeiro de 2016

Eu estava a dizer...

...sobre a parte de se conhecer alguém pessoalmente e depois passar a ter apenas uma convivência online (tipo nas redes sociais) porque aparentemente essa pessoa passou a estar muito ocupada com a vida profissional, pessoal, familiar, etc... isso eu até entendo.
Mas agora haver influências de terceiros nesse afastamento - oh foda-se! aí fico pior que estragado - e vocês podem até dizer-me que isto é uma paranóia que as pessoas têm... só que eu digo-vos que lá porque agora as caras-metades metem o focinho nos vossos assuntos, e até nas contas do facebook, isso não vos impede de se dirigirem apropriadamente a quem vos considerou amigos... por isso, se eu desapareço da lista de alguém (pela minha mão, não pela vossa) , acho que também vou reconsiderar o elo da vida real...
E por favor não fiquem chateados, eu sou só um e há muito mais pessoas que poderão ser vossas amigas e papar grupos... que essa merda eu não faço, e eu estimo que vocês se fodam.




sábado, 9 de janeiro de 2016

2016...

Eu não podia pedir mais do que aquilo que estou a fazer neste momento, finalmente vou acabar com a porra do curso e espero começar a fazer coisas bonitas depois disso, entenda-se começar a trabalhar lol...

Coisas e mais coisas...

Bom, estou a entrar no bom caminho, também podia ir depressa mas vamos lá ter calma com o andor...
Neste ano que acabou tomei certas decisões a nível "social", algumas influenciadas por decisões pessoais e outras nem por isso... do tipo começar a cagar para pessoas que não me passam cartão, que a vida segue e as pessoas passam a ter obrigações e etc, com isso eu não tenho problemas nenhums.
Só me faz espécie as pessoas passarem a ser influenciadas pela estupidez e conformismos..., ou outras pessoas que cagam barbaridades da boca porque têm a mania que são hipsters ou simplesmente são umas putas parvas... se não me vêm em lado nenhum nas redes sociais, não fiquem tristes... não é nenhuma quezília, apenas estou "conformado" com o facto de vos conhecer pessoalmente há anos e uma amizade no facebook por exemplo é simplesmente cagativa, apenas não tenho paciência para vos ver cagar postas de pescada sem nexo algum e que me levam a questionar a sobriedade dos vossos pais na noite em que vos fizeram...chiça...
Mas acalmem-se... não precisam de fugir se me virem na rua , é claro que vos vou falar...
E pronto já me sinto melhorzito!

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

E... estou de volta (ou não...)

Ora bem... isto tem andado às moscas... bem... tem havido coisas mais importantes, e estou a ir no bom caminho... talvez eu venha cá mandar umas postas com mais frequência este ano...

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Quando não se deve usar o sarcasmo

Se for aplicado em pessoas muito broncas, o mais provável é que não percebam a dica e também são capazes de ficarem mais iludidas.
Dang!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Amizades, groupies e afins...

Isto provavelmente já deve ter sido debatido mais que uma vez, em diversos lugares.
Mas eu vou dizer o que penso sobre o assunto e pronto...
O facto de uma pessoa deixar de falar a outra é normal, existiram divergências e etc, cada uma seguiu o seu caminho. Consequentemente, o grupo de amigos de cada um começa logo a desmarcar-se das pessoas em questão, e por aí adiante. Sentir as dores dos outros agora é "normal" e corrente, embora sempre me tenha feito espécie.
A situação mais caricata é aquela em que se encontram aqueles que se relacionavam com as duas partes mas não faziam parte dos mais chegados. Ficam a pensar o que raio se passou e porque é que as pessoas já não se dão e arriscam-se a ser mal interpretados quando perguntam o que quer que seja sobre o assunto. Nestas circunstâncias, o mais sensato é não se pronunciarem e não tomarem lados, e também evitar falar de uns na presença de outros e vice-versa... isto se se tiver já conhecimento do facto que fulano e beltrano já não se falam.
Se aparecerem ao fim de algum tempo e reencontrarem aquele grupo de pessoas assim de repente, é complicado, porque para se actualizarem fazem as perguntinhas da praxe sobre amigos e namoros e ficam logo queimados. À conta disso já aprendi que se me cruzar com um(a) conhecido(a) que já não via há algum tempo, não é aconselhável fazer perguntas sobre a cara-metade dessa altura, ou sobre o amigo(a) do peito. Não leio as mentes dos outros, mas vou aprendendo a saber quando não devo abrir a boca para falar de certas coisas...

Agora se falarmos em questão de redes sociais e chats em função do que descrevi antes, a maior parte mantêm as ligações virtuais, tipo... o que é que me está a falhar?
Qual é o interesse de continuar a seguir uma pessoa na internet, se na vida real já não se falam?
Ou é por masoquismo, ou o simples propósito de fazer jogos psicológicos da treta, que é como quem diz "tentar apagar fogos com gasolina".
E no final da troca de "mimos", há as pessoas que voltam a relacionar-se com as outras apesar de lhes terem tentado fazer a vida negra, tudo amiguinho e fofinho.

Desde já deixo um aviso, a partir do momento em que armam confusão comigo, não venham depois chamar-me amigalhaço que eu enfio-lhes um ananás numa certa parte...com as folhas viras para cima...
Podem chamar-me ogre que eu gosto ;)



Faith No More - The Gentle Art Of Making Enemies

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

...


Iron Maiden - The Reincarnation of Benjamin Breeg

sábado, 4 de dezembro de 2010

Do que eu precisava mesmo...


Ministry - Just One Fix